Print Friendly, PDF & Email

A criança, a vida de infância, faz parte da vida do povo de Israel como da nossa hoje, por isso na história bíblica é normal encontrar fatos inerentes às crianças. O ponto de partida é que no judaísmo existia um grande amor por elas: Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade Salmos 127:3-4.
A partir de Levítico 27.6 (entre um mês e cinco anos, o homem será avaliado em cinco siclos de prata e a mulher em três siclos de prata), se deduz que existia muita mortalidade infantil, tanto que no primeiro mês de vida a criança não tinha nenhum valor (em relação a esta tabela de valores estabelecida em vista de anular certas promessas feitas). O menino, 8 dias depois do nascimento, era circuncidado e recebia um nome, Gênesis 17.12 e Lucas 1.59. Nos primeiros anos de vida a criança era responsabilidade da mãe, Provérbios 6.20; 31.1, que dava de mamar à criança durante 3 anos.
Entre os deveres das crianças está o mandamento de obedecer aos pais, Êxodo 20.12. No Novo Testamento, contudo, também os pais precisam prestar atenção a não provocar a raiva das crianças, Efésios 6.1-4 e Colossenses 3.20.
Nos evangelhos de Mateus 18.1-4, encontramos uma passagem muito importante. Jesus diz aos seus discípulos que precisam ser como as crianças. O contexto é aquele da disputa entre os discípulos que tentavam descobrir quem era o maior. Jesus, então, para recriminá-los, diz esta frase. O termo grego usado é “paidion”, que indica o neném, diminutivo de criança (“pais”). Ora, o que Jesus quer dizer é que a criança pequena põe toda a sua confiança nos pais e não pretende ser grande: quando tem frio tem certeza que os pais lhe arranjarão o agasalho adequado. É essa atitude de confiança que Jesus pede aos discípulos, invés da competição, cf. Romanos 12.16.
Transmitindo ensinamento parecido, encontramos outro texto importante, que mostra o contato de Jesus com as crianças, encontra-se em Lucas 18.15-17 Traziam-lhe até mesmo as criancinhas para que as tocasse; vendo isso, os discípulos as reprovavam. Jesus, porém chamou-as, dizendo: “Deixai as criancinhas virem a mim e não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo, aquele que não receber o Reino de Deus como uma criancinha, não entrará nele

Há outros textos que podem nos inspirar a refletir:

Provérbios 20.11 Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações, se a sua obra é pura e reta.
Provérbios 22.6 Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.
Provérbios 22.15 A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela.
Provérbios 23.13 Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá.
Provérbios 29.15 A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.
Mateus 21.16 E disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus lhes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?.
Lucas 1.41 E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
Lucas 10.21 Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Espírito Santo, e disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste às criancinhas; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve.
João 16.21 A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo.

Outros versículos: Êxodo 22.22-23Deuteronômio 4.9-104.406.5-712.2829.2931.12-13Salmos 8.210.1468.5-671.17-1872.478.4127.3146.9Provérbios 13.2217.620.1122.622.15Isaías 40.30-31Jeremias 49.11Lamentações 1.162.113.32-334.4Mateus 10.4211.25-2618.2-618.1019.13-1421.16Marcos 10.13-16Lucas 9.46-48Efésios 6.1 e  6.4Colossenses 3.20Tiago 1.271 João 2.13.

Fonte: aBiblia.org