Print Friendly, PDF & Email

Nas últimas semanas as mídias em geral foram fartamente alimentadas de subsídios para suas publicações escritas, visuais, radiofônicas e virtuais pelas informações oriundas da decisão de Joseph Ratzinger em desistir da coroa papal. Ouvi e li muitas interpretações diferentes sobre as reais motivações de Bento XVI para efetivar sua renúncia do mais alto posto do clero romano.

Desde problemas de saúde até fatores escatológicos rondaram pensamentos e formaram opiniões na mente de muitas pessoas. Todavia, o fato é um só: O Papa cansou!

Cansou da hipocrisia que sustenta um império de riquezas, vaidades e ostentações em nome da religião. Cansou de sua impotência em lidar com as fraudes financeiras do banco do Vaticano e das fraudes emocionais oriundas da pedofilia e das diversas manobras sexuais impostas por aqueles que ostentam a áurea da santidade e o status de guardiões da causa divina na terra. Cansou da mentira da infalibilidade papal, talvez diante de suas próprias fragilidades em lidar com pecados, crimes financeiros e orgias sexuais de subalternos que falam em latim. Num olhar mais otimista cansou de ver o pecado e tentar alimentar um padrão moral de conduta, percebendo o quanto é falível em ações e intenções para combater o mal secular que domina o império religioso construído na babilônia.

O papa cansou, mas qual a novidade disso? Não foi a pessoa ou a instituição que ela representa que cansou, mas sim a estrutura hipócrita do império romano construído nas bases da religião que desmoronou diante do peso da verdade. A moral da história é que a hipocrisia cansa e todos aqueles que desejam viver piamente em Cristo precisam comungar e se posicionar ao lado da verdade – inimiga mortal da hipocrisia.

A grande lição que a renúncia do Papa alemão nos traz é que a hipocrisia faz qualquer pessoa cansar. Portanto, aquele que não deseja cansar na caminhada, nem desistir na construção da obra que lhe foi proposta precisa, necessariamente, se desfazer de qualquer forma de hipocrisia, seja ela aparente ou escondida nos escombros da alma. Quem desejar ter uma família sólida, uma espiritualidade verdadeira, uma profissão honesta e rentável com durabilidade precisa renunciar à hipocrisia, antes que esta o faça renunciar de suas posições e conquistas.

Em março a Igreja O Brasil Para Cristo no Mandaqui completa 28 anos de existência, eu completo 25 de pastorado local, 30 de casamento e a denominação a qual pertencemos 57 anos de história como a primeira igreja pentecostal fundada por brasileiros. A Missão Desafio completou em fevereiro 21 anos de existência. Se não quisermos renunciar por cansaço é preciso abandonar qualquer forma de hipocrisia. Na verdade o que mais cansa pessoas, famílias e instituições diversas é a hipocrisia que foge da verdade e a ela se opõe.

A verdade prevalece e tonifica a vida e o ânimo daqueles que com ela estão comprometidos em aliança inviolável. Se você não desejar renunciar posicione-se do lado da verdade, pois nada podemos contra ela senão em favor dela.

Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdadeII Coríntios 13.8

Pela verdade e desejando a você uma boa caminhada (sem renúncia)!

Fonte: Pastor Joel Stevanatto ( www.joelstevanatto.com.br | www.obpcmandaqui.com.br )

Comentários

comentários