Print Friendly, PDF & Email

Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade e pratica a justiça…Salmo 15.1-2

Praticar a justiça pode ser definido como agir em todas as áreas da vida segundo a vontade de Deus, baseando-se nas Escrituras Sagradas, pois a justiça de Deus é diferente da justiça do homem. A primeira é cristocêntrica enquanto que a segunda é antropocêntrica e em muitos casos contrasta a Palavra de Deus. Portanto, faz-se necessário o cristão observar os padrões éticos e morais da justiça divina que produzem a paz e não se basear nos princípios humanos que produzem a confusão.

Jesus disse: “(…) se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céusMateus 5.20. Com isso, percebe-se que Jesus orienta o cristão a viver em contraste com a religiosidade e com a hipocrisia, Mateus 23.1-5. A justiça dos homens se baseia em “olho por olho e dente por denteMateus 5.38, porém, a justiça de Deus se baseia na misericórdia e no perdão. Vejamos alguns exemplos:

Na justiça dos homens aquele que é ofendido tem o direito de levar o ofensor ao tribunal e requerer dele a indenização devida pelos danos morais causados; porém, praticar a justiça de Deus é oferecer a outra face quando for espancado por alguém, Mateus 5.39, e se for confrontado pelo próximo, deve estar sempre pronto a ceder, Mateus 5.40-42. Além disso, praticar a justiça de Deus é amar os inimigos, bendizer os que vos maldizem, fazer o bem aqueles que vos odeiam, e orar por aqueles que vos maltratam e vos perseguem, Mateus 5.44.

O cristão que se aplica na prática da justiça divina é um bem-aventurado, Mateus 5.6 e não vive tentando prejudicar o próximo. Praticar a justiça é um princípio fundamental que Deus requer de todo cristão, Miqueias 6.8. Ela é uma das qualidades de um verdadeiro cidadão dos céus, v. 2.

por Sergio Cruz, Pastor

A prática da justiça divina denota o desenvolvimento
dos frutos do Espírito na prática de vida cristã.

Fonte: Devocionário O Brasil Para Cristo (www.editoraobpc.com.br)

Comentários

comentários