Print Friendly, PDF & Email

Lucas 23.44-46 Já era quase a hora sexta, e, escurecendo-se o sol, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona. E rasgou-se pelo meio o véu do santuário. Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou.

É interessante a discussão a respeito da morte de Jesus, se foram os romanos (Poncio Pilatos), ou os sacerdotes judeus que o mataram, mas no texto de Lucas, chegamos a conclusão que ninguém poderia matá-lo, se Ele não permitisse, portanto, é correto afirmar que Jesus se doou (Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito v 46), Jesus se entregou, se ofereceu, como um sacrifício em nosso lugar.

Antes de morrer, Jesus tinha orado ao Pai, pedindo em favor daqueles que o queriam matar: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem Lucas 23.34. De fato, sem esse tipo de amor não seria possível tamanho sacrifício, e nós, como seus discípulos, devemos seguir o seu exemplo e perdoar aqueles que nos ofendem ou agridem, Lucas 11.4.

O versículo mais conhecido da Bíblia é João 3.16, onde está escrito até que ponto Deus nos amou. Paulo também escreveu algo parecido aos Romanos; vejamos: Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós ainda pecadores Romanos 5.7-8. Deste modo, não mereciamos o perdão de Deus, ma Ele decidiu vir ao nosso encontro baseado na Sua graça e principalmente amor.

Jesus se doou pela humanidade e espera que façamos o mesmo, 1 João 3.16, e não pode haver maior evidência de conversão do que a de obedecermos ao seguinte mandamento de Cristo: Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros João 13.34-35.

Amados irmãos, como vimos até aqui, nosso querido Salvador realizou sua obra redentora na base do amor sacrificial, Ele se doou em nosso lugar e um dia cada um de nós fomos alcançados por esse maravilhoso amor, e agora devemos viver cheios desse amor no relacionamento com os nossos semelhantes, sobretudo, quando estivermos desempenhando o nosso ministério.

Um grande abraço a todos, e que Deus vos abençoe e guarde.

Fonte: Pastor Luiz Fernandes Bergamin, Almanaque OBPC em FOCO ed. nº 71 (presidencia@convencaosp.com.br)

 

Comentários

comentários